Home / Publicações / José Luis Arnaut em Bilderberg com Trump no topo...

José Luis Arnaut em Bilderberg com Trump no topo da agenda

Jornal de Negócios

2/06/2017

Mexia, Arnaut e Barroso em Bilderberg com Trump no topo da agenda  
 
É a terceira edição consecutiva do clube "secreto" de Bilderberg em que Durão Barroso marca presença. Além da administração norte-americana, os 131 convidados vão debater as relações transatlânticas e a guerra na informação.  
 
Paulo Zacarias Gomes [email protected]  
 
A edição deste ano dos encontros de Bilderberg conta com a presença de três portugueses entre os 131 convidados chamados a discutir temas como a administração Trump, a relação transatlântica, o papel da Rússia e da China ou a ameaça nuclear. O actual chairman da Goldman Sachs International, Durão Barroso pertence à organização do Bilderberg, substituindo Francisco Pinto Balsemão em 2015. O CEO da EDP, António Mexia, o sócio da CMS Rui Pena & Arnaut, José Luís Arnaut, são as presenças lusas confirmadas no evento que arranca esta quinta-feira, 1 de Junho e se estende até domingo, dia 4.  
 
Em comum, os três portugueses têm a experiência governativa e empresarial – Arnaut e Mexia foram ministros, Durão chefe de Governo e depois presidente da Comissão Europeia. No grupo dos poderosos que este ano se congrega em Chantilly, no estado norte-americano da Virgínia, constam presidentes de multinacionais, ministros das Finanças, líderes de bancos, jornalistas, embaixadores, senadores e governadores. As conferências de Bilderberg – que este ano comemoram o 65.º aniversário - juntam as elites económicas e empresariais europeias e americanas e apesar de publicamente conhecida a agenda são vistas como cultivando o secretismo por serem reservadas aos líderes convidados.  
 
De Espanha, estarão Albert Rivera, o líder do Ciudadanos, a presidente do conselho de administração do Santander, Ana Botín, o presidente da PRISA, José Luís Cebrián e Luis de Guindos, o ministro da Economia. Christine Lagarde, a presidente do FMI, também vai a Chantilly, tal como Jens Stoltenberg, o secretário-geral da NATO e o antigo ministro das Finanças britânico George Osborne (agora director do London Evening Standard), numa edição em que o Brexit não consta declaradamente da agenda. Os 13 pontos em debate analisam a evolução da administração Trump, o futuro das relações transatlânticas – uma semana depois das cimeiras da NATO e do G7 -, para onde vai a União Europeia, além do ritmo da globalização, da emergência do populismo ou do papel a desempenhar pela Federação Russa e pela China na ordem internacional.  
 
A lista de participantes é de longe dominada pelos norte-americanos: estará o secretário do Comércio Wilbur Ross, o chairman da Alphabet, Eric Schmidt, além do presidente executivo da AT&T. O antigo CEO da francesa AXA, Henri de Castries, lidera os trabalhos. No ano passado, a ex-ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque e o CEO da Galp,Carlos Gomes da Silva, asseguraram a presença lusa nos trabalhos de Bilderberg, com Durão Barroso . Este é o terceiro ano consecutivo em que o ex-presidente da Comissão Europeia participa no evento.